Biografia de Antonio Meneghetti

Da Ontopsicologia

Nascido em 09 de março de 1936 em Avezzano (Áquila – Itália), Antonio Meneghetti é o primogênito de nove filhos de Pietro Meneghetti, vêneto de Montebelluna, e de Anna Castellani.

Vivenciou a guerra, o viver nas ruas, a escola e o trabalho, parte em Vêneto e parte em Abruzzo.

Logo nos primeiros anos após a Segunda Guerra Mundial foi escolhido, com apenas 11 anos de idade, para ingressar nos estudos eclesiásticos.

Aos quatorze anos (1950) ingressa na formação monástica dos Frades Minori Conventuali em Assis, Gubbio, Spoleto, Roma.

Estuda até falar corretamente latim, grego antigo e aramaico.

Aos vinte e cinco anos, ordenado sacerdote, prossegue os estudos nas diversas faculdades das grandes universidades romanas, frequenta cursos especiais em Friburgo (Carl Gustav Jung), em Londres (psicanálise freudiana e o Tavistock de Ronald Laing), em Paris (Jacques Lacan) e em Viena (Viktor Frankl).

Durante sua atividade pastoral, percebe, com a experiência cotidiana, os problemas existenciais do homem (ele mesmo dirá que a experiência do confessionário foi muito importante para os seus estudos sucessivos) e, como intelectual, amadurece a vontade de compreender profundamente estes problemas, de encontrar uma resposta concreta, racional, verificável sobre o problema do homem.

Contemporaneamente prossegue sua formação artesã e artística em diversos campos, particularmente em Veneza, Florença, Roma. Sua formação musical durante anos consistia principalmente em órgão e piano, canto gregoriano, coral e canto (seus mestres: Lorenzo Perosi, Padre Domenico Stella, Licinio Refice, Padre B. Rizzi).

Para manter a mãe viúva e os seis irmãos sobreviventes, deixa o voto de pobreza franciscana, torna-se pároco secular durante seis anos nas cidadezinhas de Monterealese Aquilano.

De 1970 a 1972 ensina “Fundamentos de filosofia pastoral” na Universidade São Tomás de Aquino – Roma. No ano acadêmico de 1972-73, passa a ensinar “Ontopsicologia do homem” nesta mesma Universidade.

Seu máximo interesse sempre foi o homem e a filosofia. Sobretudo, o problema crítico do conhecimento. Edmund Husserl influenciou a sua crise intelectual.

Percebeu que, após ter ensinado todas as teorias, deveria ir para a prática:

“Se o que eu dizia era verdade, deveria curar os doentes”.

Aos trinta e seis anos Antonio Meneghetti sai formalmente, com respeito e gratidão, da Igreja Católica; deixa mãe e irmãos – já maiores de idade – e abre o seu primeiro escritório de psicoterapia e cursos de formação em Roma, na Viale Marco Polo (1971-1973). Após três meses o seu escritório e sua escola (60 inscritos) tinham sucesso profissional.

Nos dez anos em que se dedicou à atividade clínica, curou casos de esquizofrenia e outras patologias (neurose, drogas e doenças físicas) sem o uso de medicamentos. Durante esse período identificou a existência e formalizou teoricamente as características do Em Si ôntico, do campo semântico e do monitor de deflexão.

Em 1978 funda a Associação Internacional de Ontopsicologia - AIO, que se tornará no final dos anos de 1990 uma ONG com status consultivo junto às Nações Unidas. O escopo da Associação Internacional de Ontopsicologia é a divulgação cultural da Ciência Ontopsicológica que, com base nas três descobertas feitas por Meneghetti (campo semântico, Em Si ôntico e monitor de deflexão), fornece o fundamento epistêmico ao conhecimento. O estudo e a evolução da própria existência são restituídos a cada indivíduo através do método ontopsicológico. A Ontopsicologia não procede através de modelos, mas por meio de um confronto efetivo e mensurável da realidade. O método, se aplicado, leva a um resultado certo.

Casou-se e teve duas filhas.

Ao longo de sua trajetória, continua suas pesquisas e pratica as diversas angulações da arte para alcançar a competência do conceito da arte sacra. Seu arquiteto preferido é Louis Kahn. Frequenta o set de filmagem do diretor Frederico Fellini – de Otto e mezzo a La città delle donne.

Passa diversas noites em clínicas de obstetrícia para observar atitudes e comportamentos, sobretudo na semana que antecede ao parto.

Estuda os paralelismos jurídicos: direito romano, direito econômico, códigos italianos. Analisa também os paralelismos históricos da Europa, China, Índia, Islã. Lê os romances da literatura clássica internacional. Admira Alighieri e Dostoievski. Na música, prefere Beethoven e Puccini.

Por acusações difamatórias, foi para o cárcere. Na prisão, Meneghetti continua suas pesquisas sobre as motivações da delinquência e da droga. As raízes dessas confirmam as precedentes descobertas durante a atividade psicoterápica. Após um mês é solto sem algum processo ou julgamento, uma vez que o juiz, em suas investigações preliminares, não encontrava lugar para proceder.

A partir de 1981 Meneghetti se afasta da psicoterapia e retorna à filosofia, à arte e à organização de seminários e congressos, encontros em universidades de prestígio e análises definitivas sobre argumentos da sociedade internacional e global contemporânea.

De 1981 a 1986 interessa-se em verificar o método ontopsicológico em sujeitos e pacientes de diversas etnias e culturas. Ingleses, espanhóis, brasileiros, mauritanos, iranianos, indianos, russos, finlandeses, hebreus, árabes, chineses, mongóis, uzbeques, congoleses bantú, siberianos, pobres, nobres, realizados, bem-sucedidos, mestres do espírito, políticos, empresários, médicos, sacerdotes, músicos, burocratas, barões, revolucionários, etc.

O método ontopsicológico é experimentado e demonstra-se preciso.

De 1986 a 1996 ativa-se em fazer contatos e protocolo de colaboração com países do Leste europeu e da América do Sul, e a cada dois anos organiza congressos internacionais de Ontopsicologia sobre as diversas temáticas-pontas do momento.

Em 1994 a Academia Internacional de Informatização, organização fundada pelo parlamento russo e entidade científica reconhecida pela ONU, conferiu a Meneghetti o título de “Acadêmico”, pela sua “incessante e original atividade de pesquisa e desenvolvimento da ciência”, em particular “pela descoberta do campo semântico”.

Em março deste mesmo ano, Meneghetti havia recebido a Láurea Honoris Causa em Física: “(...) Tal ciência [Ontopsicologia] é capaz, hoje, de consentir o conhecimento último da psique humana, através do uso do campo semântico, que é o processo de formalizações energéticas que concretiza qualquer relação. Por ter, portanto, formalizado uma enorme contribuição à resolução da crise das ciências contemporâneas, a Universidade de Albany (Nova Iorque) lhe confere, hoje, a Láurea Honoris Causa em Física”.

No ano seguinte, recebe em Moscou a Láurea Honoris Causa em Psicologia, por parte do Instituto de Psicologia da Academia das Ciências e, em 1997, o governo da Federação Russa confere-lhe o título de Grand Doctor Nauk em Ciências Psicológicas.

Os reconhecimentos prosseguem-se e em 1998 o Acad. Prof. Antonio Meneghetti recebe dois importantes títulos: Doutor em Ciências Psicológicas (conferido pela Comissão Superior para as qualificações Acadêmicas do Governo da Federação Russa) e de Grand Doctor Nauk em Filosofia (pelo Conselho Superior da Academia Internacional de Informatização).

Amante da cultura humanista e dedicado à formação de líderes conduz, com a Associação Internacional de Ontopsicologia, a recuperação e desenvolvimento de locais abandonados em diversas partes do mundo: Lizori (Itália), Recanto Maestro (Brasil), Lizari (Letônia) e outros. O objetivo é integrar harmonicamente homem, meio ambiente e desenvolvimento econômico e social. A iniciativa da AIO foi reconhecida pelas Nações Unidas em 2007 como um exemplo de contribuição aos Oito Objetivos do Milênio. Os trabalhos da AIO no Brasil são representados pela Associação Brasileira de Ontopsicologia, fundada em 1985.

Atualmente lhe agrada a economia e a sociologia. Para a primeira, individuou o critério subjetivo do empresário que assinala o resultado certo da racionalidade econômica. Para a segunda, diz ser necessário refundar a pesquisa sobre o homem primitivo; não sobre o comportamento estatístico ou operacional, mas sobre a intencionalidade de natureza do homem e o contraste histórico do ambiente. Desde o ano de 2004 intensifica em suas conferências a Filosofia.

Para seguir seu pensamento futuro, pode-se participar à Summer University of Ontopsychology, que acontece regularmente a cada ano no mês de agosto, na Itália.

Ligações externas

Ferramentas pessoais